Soft skills: aprenda as reais habilidades do futuro!

Enquanto eu crescia, da infância para adolescência e da adolescência para fase adulta, ouvia constantemente o quão importante era eu entender matemática, física, química, biologia, português e afins, para passar no vestibular e entrar na faculdade – outra fase onde eu escolheria o emprego da minha vida e seguiria estudando e aprendendo, com afinco, as capacidades técnicas que aquela profissão exigia.

A fórmula que nos foi passada é basicamente essa: saiba muito sobre alguma coisa e você vai se dar bem na vida. Fui descobrir o tamanho desta mentira quando cai no mercado profissional.

Descobri que conhecer muito sobre um tema é pouco. Adultos têm questões muito maiores para lidar no trabalho do que apenas ‘o que eles não sabem fazer’.

Na verdade, a grande maioria dos problemas nas empresas não são nem relacionados diretamente a suas habilidades técnicas, mas a coisas como falta de tempo, excesso de estresse, inveja no trabalho, problemas com a equipe, falha em comunicação, ganância, baixa capacidade de se adaptar a novas situações e algumas outras que você também deve conhecer bem.

Habilidades Técnicas x Habilidades Comportamentais

No mercado Americano, usa-se as terminologias de hard skills e soft skills para descrever que tipos de habilidades você possui. Todas as profissões exigem os dois tipos de habilidades, mas vamos entender um pouco mais delas agora.

As hard skills (habilidades técnicas) são seus entregáveis, o quanto e o que você é capaz de produzir em determinado campo. É a cirurgia de um médico, a produção de um marceneiro, a obra de um engenheiro e assim por diante.

Já as soft skills (habilidades comportamentais) são tudo que cerca ou conduz os seus entregáveis. A inteligência emocional do médico ao não se deixar afetar pela complexidade da cirurgia, a criatividade do marceneiro ao produzir suas peças, a liderança e condução do projeto do engenheiro ao longo da obra.

Tudo ótimo até aqui, ambas são importantes e úteis. Acontece que…

Especificidade é para robôs.

Desde a revolução industrial temos nos esforçado para criar um sistema de produção impecável, totalmente direcionado à produtividade e entrega. O lema das empresas no último século foi, basicamente, “produza mais, produza melhor”. Quanto mais tempo você passasse produzindo, melhor e mais rápido faria suas tarefas. Por isso crescemos achando que o exemplo que dei no primeiro parágrafo seria a fórmula para o sucesso.

Mas, também no último século, a tecnologia entrou numa curva de crescimento exponencial. Criamos robôs que dominam indústrias inteiras, que fazem o trabalho de 1000 homens no agronegócio e softwares que dispensam qualquer ser humano pensando por eles.

De acordo com a consultoria McKinsey, em uma pesquisa realizada em maio de 2017, 50% dos atuais postos de trabalho no Brasil poderiam ser executados por robôs ou softwares automatizados. O que isso representa? O pavoroso número de 53 milhões de pessoas perdendo seu emprego ou precisando se atualizar no mercado de trabalho.

Então o que sobra para nós, meros mortais?

Fazer tudo que um robô (ainda) não é capaz de fazer. Sim, as habilidades do futuro serão as mais humanas possíveis: as soft skills ou habilidades comportamentais. As principais estão aqui, para você conhecer e aprender:

1. Análise Crítica

Você é capaz de analisar criticamente uma situação ou informação? Essa é uma habilidade essencial para o profissional do futuro. 

Se antes o profissional que se destacava era aquele que executava mais rápido, com poucos questionamentos, hoje aquele que sabe fazer as perguntas certas e melhorar processos de execução é aquele que se sobressai.  

2. Criatividade

Criatividade não é só para artistas e publicitários. A capacidade de imaginar, idealizar e inovar situações, produtos e processos é útil (e necessária) em absolutamente qualquer área. Uma dica boa para começar a estimular sua criatividade é começar a olhar a arte com outros olhos.

3. Negociação

Você pode não ser um vendedor, mas precisa aprender a vender. E você pode me dizer: ‘a área de vendas não é para mim’, mas eu te digo que é sim!

Aposto que, no seu dia-a-dia, você passa por dilemas como:

  • A decisão de onde jantar;
  • A decisão de que filme assistir;
  • A argumentação de um ponto;
  • A compra de um produto;

Todas essas situações exigem habilidades de negociação. No fim das contas, a todo tempo, conscientemente ou não, você está negociando algo.
Se trouxermos isso para o ambiente profissional, isso fica ainda mais gritante.
Como convencer alguém de algo que você acredita? Como vender o seu projeto/produto? Como implantar uma nova metodologia, fazendo com que todos se engajem no processo? Como pedir um aumento?

4. Inteligência emocional

Daniel Goleman, em seu aclamado livro Inteligência Emocional, nos sugeriu que podemos separar o que chamamos de inteligência em duas grandes áreas: suas habilidades intelectuais (IQ – intelligence quotient) e inteligência emocional (EQ – emotional quotient).

Este ‘tipo’ de inteligência está relacionado, principalmente, a como você lida consigo mesmo e com o próximo. Para conferir as principais características de inteligência emocional é só clicar aqui.

5. Tomada de decisões

Você consegue ser crítico o suficiente para decidir (por você pelos outros) o que deve ser feito? Mesmo sob pressão, você tem inteligência emocional suficiente para tal? O desafio de tomar decisões importantes vai te acompanhar pelo resto da sua vida, é melhor aprender a tomá-las.

6. Adaptabilidade

Em um mundo onde o poder computacional dobra a cada 18 meses, onde a cada dois anos geramos mais informação do que o restante da história da humanidade inteira(!), onde novos modelos de economia surgem e novos empregos nascem enquanto os antigos caem, a habilidade de se adaptar a novas situações e aprender novas habilidades é mais do que essencial.

7. Liderança

A capacidade de gerir um time, uma empresa, uma marca ou mesmo seus amigos numa excursão qualquer, em prol de um objetivo, é uma das habilidades mais estimadas pelas empresas no século XXI. Aqui falamos um pouco mais sobre a liderança nos nossos tempos, clique para conferir.

Quais habilidades te fazem um profissa?

Aqui na Profissas sempre estamos nos perguntando quais são as habilidades que fazem um profissional realmente ser incrível, diferenciado, dos bons. Temos certeza que as soft skills acima são essenciais. Mas queremos saber de você: o que você acha que não pode faltar no currículo profissional, no mercado de trabalho, hoje? O que você sente falta no seu currículo, mas que gostaria de aprender?

Nos conte nos comentários e vamos prolongar essa conversa! 🙂